Paula Radi

Olá! Sou a Paula Radi, graduada em Desenho Industrial com ênfase em Projetos Industriais, e trabalho como Designer há mais de 20 anos.

Sempre tive um olhar atento e preocupado com a destinação dos resíduos sólidos de vários materiais que geramos, incondicionalmente, todos os dias.
 
Em minha compreensão, entendo que a saúde de um ecossistema está frontalmente relacionada àqueles que a promovem, que estabelecem uma simbiose equilibrada através de intercâmbio com foco no conjunto, nas adjacências desse conjunto e até, toda uma sociedade.
 
Há cerca de sete anos submeto esses resíduos a testes, oferecendo novas destinações e os transformando, de modo que possam ser reaproveitados, ressignificados e reutilizados, tendo em mente e como norte, a economia circular de uma cadeia produtiva e de consumo.
 
E desses 7 anos nasceu o Papelão Joia, que fabrica uma massa moldável confeccionada à partir de resíduos sólidos de papéis, papelões, serragem, polímeros em pó, entre outros, denominada como técnica pertutti para moldagem.
 
Per tutti, na língua italiana, significa “para todos”, muito pertinente nesse caso, pois a massa moldável tem grande plasticidade, grande utilidade e pode ser conformada em vários itens, como por exemplo: vasos, revestimentos de parede, tampos de mesas, forros, cubas para lavatório, bancadas, objetos decorativos e muitas outras formas e destinações… “pertutti”.
 
Suas características mais atraentes, já no produto final são LEVEZA e RIGIDEZ, sem deixar de mencionar que é possível IMPERMEABILIZAÇÃO para determinados produtos, como em vasos de plantas ou uma cuba para lavatório, por exemplo.
 
Certamente, O MAIOR DIFERENCIAL DISSO TUDO É QUE ESTAMOS TRATANDO DE PRODUTOS FEITOS COM DESCARTES DE MATÉRIAS-PRIMAS TIDAS COMO LIXO.

Pensando de modo amplo, esse material um dia fez parte do meio ambiente e foram retirados quimicamente ou por outros meios, e fazer uso responsável desse “lixo”, gera um sentimento de que estamos restaurando sua dignidade.
Papelão Joia crê, sinceramente, no poder da ação, pois é agindo que se torna possível a prática de mudanças proativas para um bem maior.
 
Sempre podemos fazer mais, independente da posição de onde estivermos.